Participe da Mais nova onda do Skoob

Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O amanhã é incerto

"(...)É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã
porque se você parar pra pensar, na verdade não há(...)"

"(...)Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena acreditar no sonho que se tem
ou que seus planos nunca vão dar certo, ou que você nunca vai ser alguém(...)"
Renato Russo


    Envelhecer sem perder aquele brilho inocente de quem um dia foi criança, parece ser algo impossível.
    Nascemos totalmente dependentes de nossos pais; se estamos com fome CHORAMOS, se sentimos sono CHORAMOS, quando a dor aparece CHORAMOS novamente. Mas o mais impressionante nisso tudo é que a mãe sabe diferenciar uma lágrima de outra, interpretando os desejos de seus filhos.
    Após crescermos e conquistarmos a independência juntamente com alguns fios de cabelo brancos, seria natural retribuir o gesto de carinho e atenção que recebemos quando recém-nascidos. No entanto, o que encontramos são idosos abandonados em asilos e esquecidos por sua família.
     As pessoas andam tão atarefadas que não têm tempo para mais nada além de buscar status e dinheiro. Por esse motivo pereferem "esquecer" de quem os criou e cuidou deles quando eles mais deram trabalho. E hoje ao retornarem à dependência infantil de cuidados, os próprios filhos dizem ser um peso em suas costas.
     Ao consultar o dicionário, a palavra maturidade está ligada ao pleno desenvolvimento humano, mas se olharmos para a nossa vida de fato, constatamos que sempre há algo a ser desenvolvido e que ser uma pessoa madura pode ser considerado um estágio utópico do ser.
     De nada adianta, batalhar a vida toda somente por dinheiro, se na hora da morte nada será levado conosco. Muitos afirmam que pelo menos as gerações futuras serão estáveis por causa da riqueza acumulada. Então trabalhamos a vida toda para dar o suor do nosso esforço simplesmente de "mão-beijada"? Existem pessoas que passam a maior parte de sua vida lutando por isso e se esquecem de viver e aproveitar o que há de melhor.
     Não que o dinheiro não seja necessário, e lógicamente ele é. Mas enquanto as pessoas não estiverem satisfeitas com o que já possuem, a vida continuará a perder o seu valor, um barril de petróleo será mais caro do que 10 crianças haitianas, uma saca de arroz valerá 3 idosos no asilo da esquina e você não custará nem um copo d'água ...

Ludimila do Nascimento Bassan
(Olho que tudo vê)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las".
(Voltaire)